DayTripper

Nas últimas páginas de DayTripper, quadrinho dos gêmeos paulistanos Fábio Moon e Gabriel Bá, o texto da página final, espécie de epílogo, assinado por Moon diz o seguinte: “o difícil foi criar um mundo que você SENTISSE ser real. Cada referência, cada foto, cada cor e cada personagem, tudo foi construído de forma a reproduzir sentimentos. A sensação de que você está vivo, alegre, solitário, amedrontado ou apaixonado”. Tal declaração sintetiza a proposta de DayTripper; criar algo que, com certeza, vai nos perturbar, no bom sentido.

O leitor irá se deparar com a trajetória de Brás de Oliva Domingos, um escritor de obituários, mas que almeja ser um grande literato, assim como seu pai, conhecido autor de romances. A princípio, pode-se imaginar, pela profissão do personagem principal, que a narrativa estará voltada a temas fúnebres. Contudo a morte será apenas um dos recortes.

Image

Como o título sugere, acompanhamos um viajante diário, que tem como destino o cotidiano, as relações humanas. “A gente usa a morte na história para enfatizar a vida. A gente fez isso na história: refletir a vida pelo personagem; momentos corriqueiros e também especiais. Eu acho que isso é o efeito da história nas pessoas, faz as pessoas, através dessa reflexão da vida dos personagens, pensarem na própria vida”, explica Fábio. É um compêndio de contações de histórias sobre o primeiro beijo, as relações familiares, o amor, o sucesso profissional, a amizade e, claro, a questão que rege a existência: quando a morte chegará?  “O que aconteceria se eu morresse naquela hora? Qual teria sido o significado da sua vida? Viver teve alguma importância?” Essas foram fagulhas iniciais para pensar, escrever e desenhar o livro com personagens inspirados, principalmente, em referências sentimentais vividas pelos autores.

Fábio e Gabriel tiveram contato com a linguagem de HQs ainda na infância, como muitos meninos de sua geração, mas a “brincadeira” não ficou só como coisa de criança.  Mais tarde, vislumbraram contar suas próprias histórias nos quadrinhos. E a autonomia autoral não poderia excluir as influências de Mauricio de Sousa, o pai da Turma da Mônica, e ainda: revista Mad, super-heróis, Wiil Eisner, Laerte e outros. A dupla também cita algumas inspirações literárias, como Machado de Assis, Guimarães Rosa, as histórias de Sherlock Holmes e o mundo de Jorge Amado. “Eu [Fábio] lembro quando estávamos lendo Capitães da Areia. A gente ainda era moleque, na época, e adorávamos a ideia daqueles meninos, em Salvador, que eram os heróis da história e ao mesmo tempo meio delinquentes… Mas, o jeito que o Jorge Amado escrevia fazia você querer fazer parte daquela gangue, participar, ser amigo do Pedro Bala. Então, a gente incorporou essa coisa de criar um cenário e personagens que façam o leitor querer participar daquilo. Tentamos fazer isso nos quadrinhos”, abordando temas universais “sobre o relacionamento entre as pessoas, os sentimentos, e sobre essa coisa de estar sempre descobrindo coisas novas e lugares novos”.

Neste rol de propostas que fogem do corriqueiro, visualizamos, também, a ocorrência de uma estrutura narrativa pouco convencional, pois no jogo da escrita, Fábio Moon e Gabriel Bá brincam com a relação de tempo e espaço, categorias essenciais à compreensão mais direta. A narrativa é estruturada em torno do personagem Brás, que em cada capítulo, tem a importância de sua existência colocada em questão, em confronto com a alegoria da morte. Brás pode morrer em um capítulo e estar vivo no próximo; ser um homem de 32 anos e depois um menino de 11. As experiências vividas por ele, seja em lugares ou momentos distintos, sempre levarão à interpretação acerca da importância dos eventos de vida para a humanidade.

Projeção

O primeiro lançamento de DayTripper foi, no ano de 2009, nos Estados Unidos, pela Vertigo, selo da respeitada DC Comics (casa dos super-heróis Batman e Superman) e logo alcançou visibilidade. Chegou ao Brasil em 2011, quando foi distribuído no mercado nacional pela Panini Books e encabeçou listas de prêmios como o Eisner Awards, principal prêmio do segmento, por melhor minissérie; HQ Mix, como destaque internacional e também está listado na recente publicação 1001 Comics You Must Read Before You Die (1001 quadrinhos que você tem que ler antes de morrer), editado pelo crítico Paul Gravett.

Trabalhos anteriores, realizados pelos autores, em parceria ou individualmente, já tinham conquistado reconhecimento, mas confessam DayTripper foi um trabalho especial. “É uma história nossa, completa; que a gente escreveu e desenhou, que o foco ficou mais na gente. Solidificou o nosso nome e nossa presença como autores de quadrinhos. Isso é bem bacana. Nas Convenções que a gente tem ido, estamos sendo convidados em função do DayTripper; na Bolívia,  Angola,  Peru ou em Portugal. A gente também recebe isso de um jeito diferente. Alguém diz pra mim, do outro lado do mundo, que adorou a história, que se identificou com o personagem… Isso é muito legal e era algo que até então a gente não tinha”.

O merecido destaque que Gabriel Bá e Fábio Moon vêm recebendo, com prêmios no Brasil e exterior, é fruto de anos de dedicação e trabalho. Das primeiras edições do fanzine 10 Pãezinhos (feito pelos gêmeos no final dos anos 1990) até a consagração com Daytripper, os irmãos publicaram por uma série de editoras (como as americanas Image Comics e Dark Horse), desenhando gêneros tão diversos quanto super-heróis, romances históricos e quadrinhos autorais (nos quais desenvolveram especialmente seus roteiros). Entre os títulos pelos quais passaram estão os populares Umbrella Academy e Casanova. Pela adaptação de O alienista, de Machado de Assis, levaram o prêmio Jabuti em 2007.

Image

Rotina

Em um estúdio situado em São Paulo, eles trabalham com novos projetos: publicações para outros países e a adaptação do livro Dois Irmãos, do manauara Milton Hatoum, para a versão em quadrinhos.

Para a realização deste último trabalho, a dupla Fábio Moon e Gabriel Bá visitou Manaus, onde a trama de Hatoum é ambientada . Foram a fim de conhecer histórias de vidas, cheiros, sabores e lugares. O lançamento da história, que tem como personagens principais os irmãos Yaqub e Omar, está previsto para o ano de 2013.

Outros trabalhos estão disponíveis no blog http://10paezinhos.blog.uol.com.br/

(Day Tripper, Panini Livros, R$ 50, 260 páginas)

Image